JESUS, OS REMENDOS E OS ODRES


LIÇÃO 11 – 13 DE DEZEMBRO DE 2009, quarto trimestre.

Queridos irmãos, A Paz do Senhor! Nosso comentarista é o Pastor José da Silva Oliveira - O tema da semana é: "JESUS, OS REMENDOS E OS ODRES"

Professor: Pr. Eduardo Messias

TEXTO ÁUREO

“Ninguém costura remendo de pano novo em veste velha; porque o mesmo remendo novo rompe o velho, e a rotura fica maior” Mc 2.21.

VERDADE APLICADA

As coisas novas de Deus não podem ser aplicadas a uma natureza velha, pois o resultado seria o desperdício e uma rotura ainda maior.

OBJETIVOS DA LIÇÃO

1) Mostrar os transtornos causados pela organização religiosa da época de Jesus;

2) Ensinar que se torna impossível alguém receber as coisas de Deus a menos que mude seu modo antigo de viver;

3) Assegurar que o cristianismo não é remendo. É mudança radical em todos os sentidos.

GLOSSÁRIO

Odre: Vasilha ou saco de couro ou de pele para transporte de líquidos

Paradigma: Modelo, exemplo.

Periodicamente: O que se repete em tempos determinados


INTRODUÇÃO

Os discípulos de Jesus estavam alegres, um sentimento inevitável enquanto Jesus estava com eles. Os discípulos de João estavam tristes, João estava preso e a beira da morte. Jesus lhes responde, mas fala de um assunto que até hoje temos problemas de compreender: “Coisas novas e coisas velhas”.

1. Jesus veio mudar as vestes por completo

Jesus e sua doutrina eram totalmente diferentes dos conceitos religiosos daquela época. A Bíblia é enfática quando diz que muitos se escandalizam dEle e de Sua doutrina. Jesus veio ao mundo apresentar o modelo correto, mas, infelizmente, como em nossos dias, muitas pessoas não estão preparadas para compreender a simplicidade de Cristo (2Co 11.3).

  • Novo com velho causa rotura (Reflita)
  • Vinho novo para odres novos (Reflita)
  • Não se coloca vinho novo em odre velho (Reflita)

O provérbio de Jesus sobre o remendo novo na roupa velha saiu facilmente de Sua própria vida. Ele não poderia ser contido dentro das velhas fórmulas e rituais dos fariseus. Ele romperia o molde! A nova mensagem que Ele ensinava teria que ser acompanhada por novos métodos de adoração. Todos sabem que se tentarmos remendar nosso velho homem com um pouquinho de ensinamento do evangelho ou sempre que tentarmos simplesmente derramar alguma espiritualidade dentro de nossas velhas vidas, o resultado será um desastre colossal, pois apenas uma reforma completa servirá. Afinal o velho é irreparável e tem simplesmente que ceder lugar ao novo; isso se ajusta com a exigência de Jesus de que nasçamos de novo (Jo 3.1-13).

A partir do momento que somos novas criaturas em Cristo Jesus, o Espírito Santo de Deus nos enche de gozo espiritual e na medida em que vamos perseverando na fé, melhorando como pessoa, vamos nos transformando em um vinho todo especial, sendo provado e aprovado pelo nosso Senhor, guardando em nosso coração a Palavra de Deus e retendo a alegria da salvação que há em Cristo Jesus. Avaliemos neste dia que tipo de odre é o nosso coração, e que tipo de vinho está dentro dele. Deus oferece oportunidade através de Seu Filho Unigênito (Jo 3.16), para que todos nós desfrutemos da maior de todas as bênçãos que se identifica como salvação eterna.

2. Jesus trouxe-nos uma roupagem semelhante a Sua

Pedro nos adverte: “Cingi-vos todos de humildade” (1Pe 5.5). Aprendemos nas lições passadas que a túnica de Jesus não apresentava remendos, João afirmou que “a túnica toda de alto a baixo, não tinha costura (Jo 19.23b). Quando Jesus fala de vinho novo, fala de si mesmo agindo dentro de cada um de nós. Mas, quando fala de vestes, fala de nos despir da roupagem do pecado e do egoísmo que não pode sofrer remendos, tendo que ser totalmente sem costura como eram suas vestes.

  • Jesus falou da rotura que aconteceria com o remendo e com o odre (Reflita)
  • Cristo nos propõe uma roupa nova (Reflita)

O jejum que os fariseus tanto praticavam, era um vestido velho, para o qual seria inútil um pedaço de pano novo. Todo sistema que Jesus veio criar não era algo impregnado numa velha ordem, mas algo extremamente novo. Jesus não poderia de forma alguma, colocar as novas verdades que veio ensinar em uma fórmula desgastada como a que os fariseus estavam acostumados a viver. Jesus esnsinou que não se pode ter duas cordas em nosso arco; que é confiar nEle para a salvação e ao mesmo tempo confiar em nossas próprias obras. Ou estamos debaixo da lei ou debaixo da graça. Não existem remendos.

Quando uma roupa se rasga, temos diversas opções: podemos não usá-las mais; podemos ignorar as rachaduras e vesti-las assim mesmo; colocar nelas um remendo novo e vê-las rasgarem-se outra vez; remendá-las com um pano de um mesmo tecido, da mesma idade, para prolongar um pouco mais o seu tempo de vida útil ou comprar uma roupa nova que resistirá ao desgaste de movimentação e das constantes lavagens. Jesus não veio criar soluções para coisas que segundo seu eterno propósito tem um tempo de validade. Ele veio mudar radicalmente algumas organizações humanas e presidi-las a partir de Seu caráter.

3. Jesus falou sobre a importância de um odre novo

Jesus comparava todo sistema religioso de sua época como um odre velho. O problema do odre velho era o vinho novo. Ninguém que entedesse do assunto, ousaria colocar um vinho novo em um odre velho que perdera sua elasticidade. Pois na hora da fermentação esse vinho arrebentaria o odre ressecado pelo tempo.

  • Se o vinho se perder para que servirá o odre? (Reflita)
  • Jesus tem sempre vinho novo (Reflita)
  • Para conservar o vinho novo é preciso um odre novo (Reflita)

Os religiosos que Jesus recriminou e, que se tornaram seus inimigos procuravam reconhecimento e mérito pela observância externa de ritos e formas de piedade, como lavagens cerimoniais, jejuns, orações e esmolas. Mas, negligenciavam a genuína piedade e orgulhavam-se em suas boas obras. Tinham esperança de que os mortos, após uma experiência preliminar de recompensa ou penalidade no Hades, seriam novamente chamados à vida e recompensados, cada um de acordo com suas obras individuais. Quando Jesus falou sobre remendos e odres eles compreendiam muito bem o que Jesus estava combatendo. Uma religião vazia e sem qualquer esperança para o perdido pecador.

4. O processo de renovação dos odres

Há quem diga que naqueles tempos da antiga cultura judaica quando o odre era velho e não se expandia mais, colocavam-no em um cepo (tora de madeira) e o surravam com um porrete. Assim se obrigava o odre a expandir-se. Como este crescimento não é espontâneo, natural, pode acarretar algum sofrimento, no entanto, melhor crescer com alguma dor do que permanecer vazio por toda a eternidade. Deus deseja que estejamos sensíveis, Ele quer derramar seu vinho novo em odres que tenham condições de recebê-lo.

  • O odre deve ser mergulhado na água (Reflita)
  • O odre deve ser posto no óleo (Reflita)
  • Ser escovado para a retirada das impurezas (Reflita)

Abraão, Jó, Daniel, Sadraque, Mesaque e Abede-Nego e muitos outros, passaram pelo processo da escova. Mas uma coisa é certa, jamais foram esquecidos e se tornaram exemplos para sua posteridade. Todos nós, mais cedo ou mais tarde passaremos pelo processo da escova. Imagine ser escovado sem antes ter sido mergulhado na água e no azeite? É bom atentar para este fato.

CONCLUSÃO

Deus fez, Deus trabalhou, lapidou, usou, ornamentou, mas aquela unção venceu o prazo, esgotou. Deus tem uma nova unção para cada um de nós. Deus tem um novo vinho, mas não se pode por o vinho novo com o velho, primeiro tem que se esvaziar o velho. A Bíblia nos ensina não só a receber vinho novo, mas a prepararmos odres novos.

QUESTIONÁRIO

1- O que Jesus recriminava ao falar sobre remendos e odres?

R.: A estrutura religioso da época que era injusta produzia transtornos e impedimentos para aqueles que queriam se chegar a Deus.

2- O que representava a veste velha?

R.: Representava a vida comum daqueles que não tem compromisso nem afinidade com Deus.

3- O que Jesus queria dizer quando comparou a religião a um odre velho?

R.: Que se torna impossível alguém receber as coisas de Deus a menos que mude seu modo antigo de viver.

4- Que elementos eram utilizados no processo de renovação dos odres?

R.: A água, o azeite e a escova de aço.

5- O que representa o processo da escova de aço?

R.: Uma convocação para sacrificar o que ocupa o lugar de Deus nossas vidas.

Fontes: Bíblia Sagrada – Concordância, Dicionário e Harpa - Editora Betel

Revista Jesus Cristo – Editora Betel - 4º Trimestre 2009 – Lição 11

2 comentários:

Sheila Ferr disse...

Excelente o estudo! tirou todas as minhas dúvidas quanto ao ditado de Jesus! Gostei muito!!!

Anônimo disse...

DEUS e maravilhoso e misericordioso ELE nos ama tanto e quer sempre o mehor para cada um de nos.e reconhecer que precisamos de e que sem ELE nao somos nada.ELE e o folego de vida

Postar um comentário

Sua opinião é muito importante! Deus te abençoe.